Escolas de samba do Rio ficam sem 50% da verba para 2018.

O prefeito Marcelo Crivella disse, nesta segunda-feira,12/06, que planeja cortar pela metade a subvenção concedida às escolas de samba do Grupo Especial a partir do carnaval de 2018 e que tais recursos seriam remanejados para dobrar as diárias pagas por criança nas creches privadas conveniadas com a prefeitura.

–  Eu propus à Liesa um corte de 50%. A beleza do carnaval carioca está mais no samba no pé mostrado pelos componentes. Juntas, as pessoas formam uma grande geografia humana. Carnaval é muito mais que carros alegóricos. Estamos com restrições orçamentárias. Quero usar esses recursos para, a partir de agosto, pagar uma diária de R$ 20 para atender 3 mil crianças. Hoje, essas creches recebem R$ 10. É pouco. Até mesmo para comprar um iogurte. É uma questão de refletir. Se vamos usar esses recursos para uma festa de três dias (Carnaval) ou ao longo de 365 dias – alegou o prefeito.

DESFILE DAS ESCOLAS DE SAMBA DO GRUPO ESPECIAL DO RIO DE JANEIRO

Foto: internet

Jorge Luiz Castanheira (atual presidente da Liesa) rebateu Crivella

– O espetáculo chegou a um alto nível de qualidade e isso seria um retrocesso. Aumentar verbas para creche de fato é importante, mas é tratar da questão do Carnaval do Rio de uma maneira muito simplista. O carnaval movimenta R$ 3 bilhões para a cidade, conforme a própria Riotur já divulgou. É toda uma economia que gira em torno do evento. Movimenta hotéis, restaurantes… entre outras atividades econômicas que geram impostos para a própria prefeitura – argumentou Castanheira

O assunto é polêmico e já tem escola ameaçando não desfilar e é bom frisar que tais cortes, mesmo em proporções menores, também vão atingir os grupos de acesso.

Em tempos de “crise” todo mundo paga pelo “pato”.

Leandro de Itaquera tem novo carnavalesco

 

IMG_20170319_115931279

A Escola de Samba Leandro de Itaquera tem um novo carnavalesco desde a manhã desse domingo, 19/03/17. Orlando Junior, volta a trabalhar na escola depois de cinco anos afastado da agremiação.

O novo ‘reforço’ da escola chega em um momento de possíveis mudanças que podem levar a escola ao tão almejado título rumo ao grupo especial.

Ele assume o posto que era do carnavalesco Rodrigo Cadete, e tem passagens pelas escolas de samba do Rio de Janeiro, Tradição (Silvio Santos), Unidos da Ponte, Portela, Lins Imperial, Arrastão de Cascadura, dentre outras, e Vitória, cinco vezes campeão pelas escolas Jucutuquara e Boa vista.

Orlando Junior, já trabalha pesquisando, desenvolvendo e produzindo enredos como carnavalesco há mais de trinta anos. Ele diz que se sente especialmente emocionado com a possibilidade de voltar a trabalhar em São Paulo, com a Leandro de Itaquera. Perguntado sobre o novo enredo o mesmo afirma que já está em processo de pesquisa e desenvolvimento e que em breve o mesmo será anunciado, mas que vem coisa boa por aí.